As principais áreas de pesquisa do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) são a agrometeorologia, a agroclimatologia, as geotecnologias (com ênfase no sensoriamento remoto aplicado à agricultura) e a ecofisiologia.

Na área operacional, o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) atende as necessidades da população no que se refere ao Turismo, Defesa Civil e Transportes, fornecendo dados e informações, diariamente, às instituições oficiais e à imprensa.

A página do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) na Internet é uma das primeiras do gênero no país, funcionando ininterruptamente desde maio de 1995, contendo informações, imagens e dados relacionados com a meteorologia e climatologia.

Ainda na área de extensão, a Embrapa Informática Agropecuária e o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) mantêm na Internet, desde 2003, o sistema Agritempo, que fornece dados e mapas meteorológicos e climáticos destinados à agricultura, com atualização diária, para todo o Brasil.

Além das atividades de pesquisa e extensão, os pesquisadores do Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) participam no ensino de graduação e pós-graduação através de cursos, palestras e orientações de estágios, dissertações e teses em processamento de imagens de satélites meteorológicos e de recursos naturais, planejamento agrícola, zoneamento ecológico e climático, mapeamento de fenômenos extremos (tornados, geadas, secas) e modelos gráficos para potencial de incêndios em matas. Oferece treinamento a alunos e técnicos da Unicamp e de outras instituições do Brasil, e cursos de graduação e de pós nas áreas de ambiente físico e ecologia.

O Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) tem parcerias e convênios com várias instituições nacionais, tais como o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), O Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), a EMBRAPA, o Instituto Astronômico e Geofísico (IAG) da USP, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e o Instituto de Pesquisas Meteorológicas (Ipmet) da UNESP.

Juntamente com a Embrapa Informática Agropecuária, o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) é co-responsável pelo Zoneamento de Riscos Agrícolas no Brasil, um programa transformado em política pública do Governo Federal que indica a cada município o que plantar, onde plantar e quando plantar.

Em nível internacional, mantém intercâmbio com várias instituições, tais como o Institut National de la Recherche Agronomique (INRA) da França, o Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuaria (INTA) da Argentina e a Universidade de Valência da Espanha, entre outras.

1983

O Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (Cepagri) foi criado em novembro de 1983, por intermédio da Portaria GR 332/1983, de 22 de novembro de1983, estava subordinado à reitoria.

Portaria GR 332, 22-11-83

Comissão Especial de Assessoramento e Orientação do CEPAGRI

Correio Popular, 06 de outubro de 1987

Prédio da Embrapa Informática Agropecuária

Jornal da Unicamp, edição 204, 24 de fevereiro a 2 de março de 2003

Estudo antevê impactos do efeito estufa

Prédio da Embrapa Informática Agropecuária

Estação Meteorológica

O professor Hilton Silveira Pinto, diretor associado do Cepagri

Jornal da Unicamp, edição 367, 13 a 19 de agosto de 2007

Fórum Permanente de Agronegócios, 2009

Jornal da Unicamp, edição 519, 12 a 18 de março de 2012

Jornal da Unicamp, edição 558, de 22 a 28 de abril de 2013

Radar alemão de dupla polarização

TV Net Local: Entrevista com o Professor Hilton Silveira Pinto, 1998.

Foco eletrônico: As alterações climáticas, 2003.

TV Repórter: A importância da agrometeorologia, 2008.

Pesquisa em pauta: Planejamento Agrícola, 2009.

Palavras cruzadas: Desafios na prevenção de desastres naturais, 2010.

Palavras Agrícolas: A nova revolução Agrícola, 2011.

Projeto Memória Científica com o professor Hilton Silveira Pinto, 2014.

Ciência & Inovação: Mudanças climáticas e a agricultura, 2014.


Outras unidades desta área